X

O que faz do problema com a própria voz uma questão tão difícil de resolver?

Mesmo com adaptações abertas, muitas vezes os usuários não ficam satisfeitos com o som da própria voz. Nesses casos, o problema acontece provavelmente por conta da saída de som do aparelho auditivo, porque os aparelhos auditivos convencionais não conseguem distinguir a voz do usuário dos outros sons captados pelos microfones. Como resultado, a própria voz do paciente é amplificada da mesma forma que os sons ambientais e ela é percebida como muito alta ou incômoda. E, pela mesma razão, quando o fonoaudiólogo reduz o ganho para diminuir o incômodo do paciente com a própria voz, os outros sons do ambiente também são afetados.

Nos últimos tempos, os fabricantes de aparelhos auditivos tentaram levar a própria voz do paciente em consideração. Os aparelhos auditivos modernos identificam a fala baseando-se nas informações temporais e espectrais e podem processá-la de maneira diferente dos outros sons, mas eles não podem identificar quem está falando em meio a todos os sons. As soluções que existem atualmente não são eficientes porque os sons do ambiente e da própria voz são tratados da mesma forma e, como resultado, algum deles será comprometido.

E se existir uma maneira dos aparelhos auditivos reconhecerem a voz do usuário?

Saiba mais sobre a última inovação da Signia no EUHA 2017.